Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais de 40

Um projecto que celebra o tempo e as mulheres.

Mais de 40

Um projecto que celebra o tempo e as mulheres.

Cristina Basílio

Cristina_Basilio-maisde40-11.jpg

Cristina_Basilio-maisde40-14.jpg

Cristina_Basilio-maisde40-18.jpg

Cristina_Basilio-maisde40-20.jpg

 

Olha, se não te importas vou buscar o meu leque, que está aqui muito calor, disse-me a Cristina antes de começarmos a nossa conversa. E foi com o leque vermelho que a Cristina foi pontuando a nossa conversa, das mais tranquilas e doces que aconteceram na Silver Room.

 

Perguntei-lhe quais as principais diferenças que encontrava entre Cristina de agora e a Cristina de 28 anos ano. Ui, tantas, respondeu. Primeiro são 20 anos que nos separam. E 20 anos de muita vivência, de encontro com muitas pessoas, pessoas essas que pela sua diversidade, pelo seu tempo, nos vão dando outra perspectiva. As pessoas que cruzam o nosso caminho são fundamentais para irmos moldando a forma de ver o mundo. Depois, aos 28, eu era uma pessoa um bocadinho medrosa, menos segura de mim. A Cristina de 48 é mais resolvida, sente que tem muito mais caminho para andar. E estes 20 anos deram-me uma maior capacidade de me rir de mim própria. Levo-me menos a sério. E isso é muito bom, pois levarmo-nos pouco a sério ajuda-nos a avançar e a perder medo. Pelo caminho desses 20 anos fui largando o medo daquilo que os outros pensariam de mim. Hoje estou-me a marimbar para isso. Ri-se e fecha o leque.  Quanto mais atenção dás às opiniões dos outros, menos te ouves no meio de tanto ruído. E acho que a idade, o tempo, nos ensina a ouvir-nos. E aprendermos a rir de nós próprios também nos torna mais tolerantes connosco. A aceitarmo-nos como somos. A vermo-nos como realmente somos. Acho que a Cristina de agora talvez seja uma pessoa melhor, uma pessoa com boa energia, mais disponível para os outros. Acho que as pessoas quando estão comigo se sentem acolhidas e isso faz-me sentir muito bem comigo.

 

Perguntei-lhe se achava que era fácil envelhecer. O ser fácil ou difícil tem muito a ver com a forma como tu levas isso, respondeu. Há muito aquela ideia, aquele preconceito de que uma mulher de 40 aos olhos dos outros já está gasta. Só que as pessoas esquecem-se que o envelhecimento não é apenas um resultado físico. Sentirmo-nos vencidos pelo cansaço, pela rotina, por aquilo que levamos às costas é o que nos envelhece. Para mim uma pessoa envelhecida é uma pessoa que perdeu os sonhos. Porque se tiveres algo na vida que te dá brilho nos olhos, por mais rugas que tenhas, tens vida. E isso transparece. Não há ginásio, nem dieta que te dê o brilho que um sonho te dá. Saber envelhecer é saber manter os sonhos.

 

Cristina Basílio

48 anos

Professora de português